12 abril 2008

Na origem o ser humano é polígamo

Desejos de variedade e de apimentar uma relação são os principais motivos que levam os casais a praticar o swing. "Com o passar dos anos existe na grande maioria dos casais um decréscimo da intensidade do desejo e da frequência da actividade sexual. O swing pode ser uma forma de reintroduzir alguma excitação numa relação que se tornou morna", considera o psicólogo Nuno Nodin. "Noutros casais, a prática do swing pode ser introduzida logo desde o início da relação, como opção de vida do casal, por exemplo, pelo gosto de variar de parceiros no contexto, apesar do compromisso afectivo para com o parceiro."

Nuno Nodin percebe esta necessidade "Existe uma falácia clássica na nossa cultura e que é causa de muitos problemas relacionais: a de que amor e sexo são sinónimos ou que, pelo menos, deverão andar sempre associados. Não é verdade." Apesar de se ter uma relação estável, com amor, pode haver desejo sexual por outra pessoa. "

Na sua origem, o ser humano é polígamo", confirma a sexóloga Erika Morbeck. "Mas o modelo social vigente, muito influenciado pela moral judaico-cristã, é a monogamia. Foi uma imposição cultural e social que hoje em dia se tornou norma." No entanto, os swingers não são polígamos, não se apaixonam nem mantêm relações com diferentes pessoas. "O swing acontece especificamente entre casais. Neste meio predomina o modelo heterossexual masculino e o modelo bissexual feminino. Podem permitir mulheres sozinhas mas nunca, ou muito raramente, homens sozinhos. Geralmente é um meio muito homofóbico", diz a sexóloga.

Segundo o psicólogo, no contexto swinger, "aquilo que, feito às escondidas do parceiro poderia ser visto como traição, passa a ser não só permitido como incentivado e acordado entre ambos". E acrescenta "O tradicional conceito de infidelidade prende-se com a quebra de confiança no parceiro. Na verdade, no caso do swing essa confiança não é quebrada porque há um consentimento mútuo para o envolvimento sexual com outras pessoas, dentro de regras que são estabelecidas pelo casal.

"Nuno Nodin considera que uma experiência deste tipo pode "aumentar o desejo sexual pelo parceiro, aumentando a confiança e cimentando a relação". Segundo a experiência de Erika Morbeck, "quando se troca de casal, a pessoa sente-se desejada por outro que não o seu parceiro. Isso aumenta a auto-estima e a excitação." Mas a sexóloga sublinha que "é preciso que o casal esteja preparado" "Ver o parceiro com outro pode ser perigoso. Se a relação já estiver fragilizada, não é o swing que a vai salvar, podendo mesmo levar à ruptura."

"A tendência é para que estes comportamentos sejam cada vez mais banalizados", afirma Erika Morbeck. A sociedade aprendeu a aceitar os homossexuais e os bissexuais e cada vez mais se questiona a ideia de "casal tradicional". "Quem sabe se no futuro o swinger se tornará a norma social?"


Publicado em: Diário de Notícias, edição de 24 de Janeiro de 2006.

Tirado de: http://www.erikamorbeck.info/index.php?option=com_content&task=view&id=22&Itemid=32


Notícia sobre swing.

PS: A Helena voltou ao serviço. Finalmente essa grande profissional voltou ao serviço. Visitem o blog dela e se puderem requiram os serviços dela pois vocês vão adorar. Ela faz depilação masculina e feminina integral quer uma quer outra e faz umas massagens divinais. Experimentem. VOCÊS VÃO ADORAR, DE CERTEZA

8 comentários:

Foxy disse...

Grande pesquisa e recolha de info.

Gosto de ler o que o Nuno Nodim escreve, estive com ele numa conversa para um grupo de jovens em Lisboa e é uma pessoa extremamente culta e inteligente!

Fazes bem em partilhar conhecimento e factos!
Obrigada!




Ah tenho fotos novas no meu espaço..... são verdadeiras...ihih (que vaidosa)

Foxy disse...

Minha santa coincidência! Comentamos ao mesmo tempo!!!! ihih

Liz / Falando de tudo! disse...

hum...excitante!
Estou passando pra conhecer novos blogs, dei um pulinho aqui no seu, que simplesmente adorei! Eu vou voltar viu?
Também te convito para ir da uma palavrinha la no Falando de Tudo, e espero que você goste, apesar das diferenças...
Liz

Catwoman disse...

Temas muito interessantes.
Aqui aprendemos sempre alguma coisa. Por isso gosto do teu blog.

Bjo

luafeiticeira disse...

Não é bem assim, como podes ver no post do bi-sex. Aliás, conheço casais que praticamente só aceitam homens sós.
Novo post te aguarda
beijos

Helena disse...

O tema é muito interessante... mas lhe garanto uma coisa, de ambas as partes estiverem depiladas... isso fica melhor ainda...
Por que???
O toque... o cheiro.. os sentidos ficam mais apurados....
veja meu blog e fique por dentro de um trabalho que a cada dia vem crescendo tanto pela procura de bem estar como da propria sexualidade de cada indivíduo.
www.depilacaomasculina.blogspot.com
Um grande abraço, Helena

luafeiticeira disse...

O melhor texto de sexo que já escrevi já está postado.
beijos que te aguardam

CC disse...

Interessante.

Grande abraço.